Sidebar

20
Sáb., Abr.

A Casa do Concelho de Tomar vai proporcionar aos seus Associados um “Despiste Ocular”

Olá! Já ouviu falar na síndrome de olho seco ou olho seco? O olho seco é uma condição cada vez mais comum e usual que reduz a qualidade de vida de quem da mesma sofre, além de aumentar o risco de infeções e lesões nos olhos. Acontece quando a lágrima produzida não é de qualidade, não contem a composição indicada para manter o olho hidratado, ou quando o próprio olho não produz a quantidade de lágrima suficiente.

Mas, como saber se sofro desta condição?

Por norma afeta ambos os olhos e os sintomas manifestam-se da seguinte forma:

Sensação de areia no olho, comichão, olho vermelho, visão turva, sensibilidade à luz, lacrimejo. No entanto estes sintomas podem-se confundir com outras patologias, pelo que é aconselhável a visita ao seu profissional de saúde ocular com regularidade.

E quais são a suas causas?

Podemos enumerar as causas que levam à redução da quantidade da lágrima devido a fatores como a idade; doenças como a diabetes, doenças auto imunes, ou da tiróide; alguns tipos de medicações como anti-histamínicos e inflamação ou ausência da glândula lacrimal.

Quanto a causas que levam a redução da qualidade lágrima podemos apontar a fatores como stress; poluição; exposição prolongada a ecrãs digitais, doenças inflamatórias das pálpebras, etc.

qual o tratamento?

Como sempre, o primeiro tratamento a ser considerado deve ser a prevenção, se tem exposições prolongadas ao computador ou em leitura, faça pausas frequentes e pestaneje os olhos. Coloque o computador sempre a um nível ligeiramente inferior ao dos olhos. Evitar passar muito tempo em salas com ar condicionado, em espaços sujeitos a corrente de ar e com baixas taxas de humidade. Evitar fumar e frequentar ambientes com fumo. Manter os olhos protegidos do vento e do sol, por exemplo com óculos de sol com lentes de qualidade.

Quando a condição de olho seco se verifica, na maioria dos casos consegue- se controlar o mesmo com a aplicação de lágrimas artificiais e a modificação de alguns hábitos. Em situações mais extremas pode ter que haver intervenção médica/cirugica.

Para finalizar.

Espero que a informação tenha sido útil, fique atento aos sinais e visite com frequência o seu profissional de saúde ocular.

O Oculista da Avenida de Roma (OAR) e a Casa do Concelho de Tomar (CCT) vão proporcionar aos associados da CCT e à Comunidade de Alvalade no próximo dia 21 de Junho uma Consulta “Despiste Ocular”.

Venha ver como está a sua visão.

A Consulta é gratuita.